sexta-feira, 30 de maio de 2008

Discurso

video
Olá a todos!!

Abaixo segue a transcrição do discurso de uma menina que calou o mundo por 6 minutos.

Discurso de Severn Cullis Suzuki na Rio Eco 92

"Olá! Sou Severn Suzuki. Represento a ECO – a organização das crianças em defesa do meio ambiente. Somos um grupo de crianças canadenses, de 12 a 13 anos, tentando fazer a nossa parte: contribuir. Vanessa Suttie, Morgan Geisler, Michelle Quigg e eu. Todo o dinheiro que precisávamos para vir de tão longe conseguimos por nós mesmos para dizer que vocês, adultos, têm que mudar o seu modo de agir.

Ao vir aqui hoje, não preciso disfarçar meu objetivo: estou lutando pelo meu futuro. Não ter garantia quanto ao meu futuro não é o mesmo que perder uma eleição ou alguns pontos na bolsa de valores.

Estou aqui para falar em nome das gerações que estão por vir. Estou aqui para defender as crianças com fome, cujos apelos não são ouvidos.

Estou aqui para falar em nome dos incontáveis animais morrendo em todo o planeta porque já não têm mais lugar para onde ir.

Não podemos mais permanecer ignorados. Hoje tenho medo de tomar sol por causa dos buracos na camada de ozônio; tenho medo de respirar esse ar porque não sei que substâncias químicas o estão contaminando. Eu costumava pescar em Vancouver com meu pai, até o dia em que pescamos um peixe com câncer.Temos conhecimento de que animais e plantas estão sendo destruídos a cada dia, e estão em vias de extinção.

Durante toda a minha vida eu sonhei ver grandes manadas de animais selvagens, selvas, florestas tropicais repletas de pássaros e borboletas, mas agora eu me pergunto se meus filhos vão poder ver tudo isso.

Vocês se preocupavam com essas coisas quando tinham a minha idade ?

Todas essas coisas acontecem bem diante dos nossos olhos e, mesmo assim, continuamos agindo como se tivéssemos todo o tempo do mundo e todas as soluções.

Sou apenas uma criança e não tenho as soluções, mas quero que saibam que vocês também não têm. Vocês não sabem como reparar os buracos da camada de ozônio. Vocês não sabem como salvar os salmões de águas poluídas. Vocês não podem ressuscitar os animais extintos. Vocês não podem recuperar as florestas que um dia existiram onde hoje é deserto. Se vocês não podem recuperar nada disso, então por favor parem de destruir!

Aqui vocês são os representantes de seus governos, homens de negócios, administradores, jornalistas ou políticos. Mas na verdade são mães e pais, irmãos e irmãs, tias e tios, e todos também são filhos. Sou apenas uma criança, mas sei que todos nós pertencemos a uma sólida família de 5 bilhões de pessoas, e ao todo somos 30 milhões de espécies compartilhando o mesmo ar, a mesma água e o mesmo solo. Nenhum governo, nenhuma fronteira poderá mudar essa realidade.

Sou apenas uma criança, mas sei que esse problema atinge a todos nós, e deveríamos agir como se fôssemos um único mundo, rumo a um único objetivo. Apesar da minha raiva, não estou cega; apesar do meu medo, não sinto medo de dizer ao mundo como me sinto. No meu país, geramos tanto desperdício, compramos e jogamos fora, compramos e jogamos fora, e os países do Norte não compartilham com os que precisam. Mesmo quando temos mais do que o suficiente, temos medo de perder nossas riquezas, medo de compartilhá-las.

No Canadá temos uma vida privilegiada, com fartura de alimentos, água e moradia. Temos relógios, bicicletas, computadores e aparelhos de TV. Há dois dias aqui no Brasil ficamos chocados quando estivemos com crianças que moram nas ruas. Ouçam o que uma delas nos contou: “Eu gostaria de ser rica, e se fosse daria a todas as crianças de rua alimentos, roupas, remédios, moradia, amor e carinho.” Se uma criança de rua, que não tem nada, ainda deseja compartilhar, por que nós, que temos tudo, somos ainda tão mesquinhos?

Não posso deixar de pensar que essas crianças têm a minha idade e que o lugar onde nascemos faz uma grande diferença. Eu poderia ser uma daquelas crianças que vivem nas favelas do Rio. Eu poderia ser uma criança faminta da Somália. Uma vítima da guerra do Oriente Médio ou uma mendiga da Índia.

Sou apenas uma criança, mas ainda assim sei que se todo o dinheiro gasto nas guerras fosse utilizado para acabar com a pobreza, para achar soluções para os problemas ambientais, que lugar maravilhoso a Terra seria!

Na escola, desde o Jardim da Infância, vocês nos ensinaram a sermos bem comportados. Vocês nos ensinaram a não brigar com os outros, resolver as coisas bem, respeitar os outros, arrumar nossas bagunças, não maltratar outras criaturas, dividir e não ser mesquinho. Então, por que vocês fazem justamente o que nos ensinaram a não fazer?

Não esqueçam o motivo de estarem assistindo a estas conferências, e para quem vocês estão fazendo isso. Vejam-nos como seus próprios filhos. Vocês estão decidindo em que tipo de mundo nós iremos crescer. Os pais devem ser capazes de confortar seus filhos, dizendo-lhes: "Tudo ficará bem. Estamos fazendo o melhor que podemos". Mas não acredito que possam nos dizer isso. Estamos sequer na sua lista de prioridades?

Meu pai sempre diz: "Você é aquilo que faz, não aquilo que você diz". Bem, o que vocês fazem, nos fazem chorar à noite. Vocês adultos nos dizem que vocês nos amam. Eu desafio vocês. Por favor, façam as suas ações refletirem as suas palavras. Obrigada."

Acredito que fique algo para pensarmos...

Um grande abraço a todos e Mão na Terra!!
Leandro.

Ratos com Asas II


Parte II

Não tendo onde morar em nossa escola os pombos podem buscar abrigo em outros lugares, inclusive em sua casa.. Dessa forma, deve-se:

• evitar dar alimento aos pombos;

• recolher sobras de alimentação de animais domésticos e criações;

• dar correta destinação aos resíduos orgânicos em geral;

• realizar ações preventivas (por ex., isolando locais que possam vir a ser ocupados por pombos desalojados de seus abrigos originais após a adoção de medidas de controle);

• limpar e desinfetar os locais utilizados pelos pombos para abrigo ou reprodução;

• não deixar as fezes de pombos se acumularem.

É preciso tomar certos cuidados para evitar a contaminação:

• umedecer bem as fezes com solução desinfetante antes de removê-las, para evitar inalação de poeira contaminada;

• proteger o nariz e a boca com máscara ou pano úmido;

• utilizar luvas;

• embalar bem a sujeira removida, para evitar dispersão dos agentes patogênicos.

Lembrete: na atual legislação matar os pombos pode ser considerado crime ambiental.

Sites na internet

http://www.ib.usp.br/ceo/jardim/problemaspomb.htm
http://www.geocities.com/~esabio/pombo/pombos_urbanos.htm
http://www.geocities.com/RainForest/Jungle/9625/numerotreze4.htm
http://www.pulvinset.com.br/metodos.htm
http://www.flybye.com/pigeon.html
http://www.picasuk.com/deterrents.htm
http://www.acvcsd.org/wildlife_rabies/pigeon.pdf
http://www.pestcontrol-products.com/birdcontrol_scare.htm
http://www.deerbusters.com/dee-0082.html
http://www.birdbgone.com/products.html
http://www.deterapigeon.com/index.htm

Prof. Carlos A. C. Almeida - Filosofia

quinta-feira, 29 de maio de 2008

E vamos mexer o sabão...

Fazer sabão ecológico é uma das alternativas para mostrar aos alunos como é possível produzir sabão em casa, com uma receita simples, ingredientes fáceis, e ainda preservar o meio ambiente, pois sua fabricação recicla óleos e gordura de cozinha.

A fabricação de sabão requer cuidados especiais. Deve-se respeitar as quantidades dos ingredientes e os procedimentos descritos na receita.

Atenção com a soda cáustica: quando misturada com água, ela libera muito calor, podendo causar lesões na pele. Se ingerida, destrói as vias digestivas e pode matar. O uso de luvas e máscara é imprescindível.

Recomenda-se o uso de recipientes e colheres de madeira e o acompanhamento de um adulto.

Receita

Ingredientes

5 litros de óleo; 1 litro de água; 1 litro de soda cáustica; 1 copo de alcool.

Preparo

Misture todos os ingredientes, exceto a água, em uma vasilha de plástico. Coloque a água quente aos poucos. Mexer durante 30 minutos com um pedaço grande de madeira (um cabo de vassoura, por exemplo). Despejar em recipiente de madeira ou papelão forrado com plástico grosso. Cortar no dia seguinte.

A Oficina foi um sucesso. E você, participou ?

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Ratos com asas I

Parte 1

Os pombos são bonitinhos, sociáveis, são símbolos do amor, da paz e até no cristianismo sua figura é símbolo do Espírito Santo. Na verdade eles são uma verdadeira praga urbana, são muito perigosos, transmitem doenças que são causadas tanto por fungos existentes em suas fezes secas como por bactérias que se transmitem ao contaminar os alimentos ou a água. Essas doenças podem inclusive levar à morte, em alguns casos de forma silenciosa e revestida de anonimato tais como criptococose, histoplasmose, ornitose, salmonelose, toxoplasmose, encefalite, dermatites, alergias respiratórias, doença de Newcastle, aspergilose e tuberculose aviária, ao todo cerca de 60 doenças diferentes.

Não queremos esses ratos contaminando nossa escola muito menos nossa horta!

Como você deve ter observado a nossa escola está com infestação de pombos, por isso pedimos a colaboração dos alunos para uma das medidas de controle que estamos adotando: a colocação de garrafas PET de dois litros nos vãos das telhas evitando a nidificação.

Traga uma garrafa! Entregue para qualquer professor ou funcionário.

Prof. Carlos A. C. Almeida - Filosofia

terça-feira, 27 de maio de 2008

Etiqueta na internet é etiquenet?


Olá, meu nome é Carlos e sou professor de filosofia na Dinorá.

A ética é um dos temas que discutimos em nossas aulas, podemos dizer que a etiqueta é uma mini-ética. Não falar de boca cheia, usar as palavras mágicas como por favor, obrigado, com licença, fazem parte da etiqueta de nosso dia-a dia. E na internet? Existem algumas regrinhas básicas de etiqueta que devemos observar para não sermos considerados no mínimo mal-educados. Vamos pensar sobre elas?

• No ambiente virtual sério não existe anonimato, devemos nos identificar e evitar apelidos. Em outros ambientes mais informais devemos usar apelidos..

• Tanto nos ambientes formais como nos informais não podemos confundir nossa vida privada, nossa intimidade com nossa vida pública. Por segurança não devemos expor a nossa vida, detalhes de nossa família, endereços, telefones. Existem pessoas mal-intencionadas e com tempo para “caçar” inocentes na net. Intimidade é para amigos não para conhecidos..

• No mundo virtual existem locais para todos os tipos de interesse e devemos respeitar a sua finalidade, não fica estranho num site religioso ficar utilizando palavrões e num site punk ficar fazendo pregações religiosas?.

• Um blog, como esse, não é lugar de bate-papo informal como de um botequim, não é o local adequado para fofocas, falar mal dos outros. Podemos estar “queimando nosso seu filme” e de nossa escola..

• Se provocados, não devemos responder. A pessoa que “zuar” ou “apavorar” quer a nossa atenção, ela vai “morrer de catapora” se for ignorada e pode se adequar ao ambiente visitado..

• O que nos falamos o vento pode levar, o que escrevemos fica registrado. Antes de escrever um bilhete, um torpedo, um post, devemos sempre pensar se seremos bem interpretados. A linguagem escrita exige um pouco mais de reflexão..


Você se lembra de mais alguma “etiquenet”? Comente e acrescente!.


Fui!.

Carlos.

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Oficina de Sabão Ecológico

Quarta-feira, 28 de Maio, teremos mais uma Oficina de Sabão Ecológico.
Nas oficinas os alunos aprendem a confeccionar o sabão ecológico que pode ser utilizado nas atividades diárias e sua fabricação recicla o óleo de cozinha, que geralmente é descartado na rede de esgoto ou nos lixões contaminando a água, o solo e facilitando a ocorrência de enchentes.

O consumidor consciente pode evitar que isso aconteça, participando da oficina e aprendendo a reutilizar o óleo para fazer sabão!!!

quarta-feira, 21 de maio de 2008

O Grande Encontro

Hoje foi um dia muito especial na escola, recebemos a visita dos funcionários da Embraer e do Instituto Cidadania Embraer: Leandro e Cibele, respectivamente.

Durante a visita conheceram os alunos e aproveitaram para saber mais detalhes sobre a construção da cisterna que é a primeira fase concluída do projeto Mão na Terra.

A expectativa dos alunos em conhecer o Leandro, voluntário da escola, foi satisfeita e agora esperamos que ele volte a nos visitar brevemente.

O encontro entre os voluntários e alunos foi muito importante para integração do grupo e também para demonstrar a viabilidade do projeto.

Agradeço a todos pela participação e envolvimento com o nosso projeto.

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Vassoura Ecológica



Uma nova campanha se inicia na escola na semana de comemoração ao Dia Internacional da Biodiversidade.

A profª. Márcia Candotti, que já ministrou oficina de vassouras ecológicas, pretende formar nova turma esse mês.

A vantagem da vassoura ecológica é que além da durabilidade (maior que a vassoura comum), não agride o meio ambiente, uma vez que a reciclagem dessas garrafas é uma alternativa para o grave problema da produção de lixo nos grandes centros, pois esse material, que demora tanto tempo para se decompor, pode ter outro destino.

Para participar, é necessário confirmar a presença no campo comentário. Lembrando que o numero de vagas é limitado a 25 alunos. Não esqueçam: é necessário trazer as garrafas pet.


sábado, 17 de maio de 2008

Pare... Leia... Reflita!

Imagem: Corbis

Dia 22 de Maio é Dia Internacional da Biodiversidade

A biodiversidade é o termo utilizado para definir a variabilidade de organismos vivos, flora, fauna, fungos macroscópicos e microorganismos, abrangendo a diversidade de genes e de populações de uma espécie, a diversidade de espécies, a diversidade de interações entre espécies e a diversidade de ecossistemas.

Mais claramente falando, diversidade biológica, ou biodiversidade, refere-se à variedade de vida no planeta terra, incluindo a variedade genética dentro das populações e espécies, a variedade de espécies da flora, da fauna e de microrganismos, a variedade de funções ecológicas desempenhadas pelos organismos nos ecossistemas; e a variedade de comunidades, hábitats e ecossistemas formados pelos organismos.

Biodiversidade refere-se tanto ao número (riqueza) de diferentes categorias biológicas quanto à abundância relativa (equitabilidade) dessas categorias; e inclui variabilidade ao nível local (alfa diversidade), complementaridade biológica entre hábitats (beta diversidade) e variabilidade entre paisagens (gama diversidade). Biodiversidade inclui, assim, a totalidade dos recursos vivos, ou biológicos, e dos recursos genéticos, e seus componentes.
A espécie humana depende da biodiversidade para a sua sobrevivência.

Atualmente, estima-se em 1,7 milhões o número de espécies identificadas. O número exato de espécies existentes sobre a Terra é ainda desconhecido, e a sua estimação varia entre 5 e 100 milhões.

O Brasil é considerado o país de maior diversidade biológica do planeta. Segundo o Ibama, órgão responsável pelas listas oficiais de espécies da fauna e da flora brasileiras ameaçadas de extinção, 219 espécies animais (109 aves, 67 mamíferos, 29 insetos, nove répteis, um anfíbio, um artrópode, um coral, um peixe e um crustáceo) e 106 espécies vegetais correm o risco de desaparecer. Entre elas, algumas estão praticamente extintas, como a ararinha-azul.

Quais as principais ameaças à biodiversidade?

Segundo os estudos do especialista Lee Hannah, as alterações climáticas são as maiores ameaças à biodiversidade. Essas alterações acontecem de forma direta (variações na temperatura, na precipitação, no nível do mar e na salinidade) e indireta, como, por exemplo, o aumento de incêndios. Muitas outras causas, no entanto, contribuem para a ameaça à vida no planeta.
São elas:
a poluição causada por dejetos domésticos, industriais e por agrotóxicos;
o problema do lixo;
a degradação das riquezas naturais;
o desmatamento; a derrubada de florestas e as queimadas tendo como conseqüência a desertificação e a extinção de espécies biológicas (fauna e flora);
o uso excessivo dos recursos naturais;
a expansão da fronteira agrícola em detrimento dos habitats naturais;
a expansão urbana e industrial, não planejada, resultando na destruição de ecossistemas para loteamento e parques industriais;
a caça predatória e ilegal;
a biopirataria;
a saída ilegal de material genético ou de subprodutos de plantas e animais para pesquisas no Exterior sobre novos medicamentos e cosméticos, sem o pagamento de patentes, etc.;

Muitos especialistas afirmam que o Brasil é o país da "megadiversidade". Contudo, devido à expansão das atividades agropecuárias, a Amazônia, a Floresta Atlântica e a maior planície inundável do mundo com uma zona de cerrado - o Pantanal - são áreas atingidas pela destruição no nosso país.

Veja a lista completa da Fauna brasileira ameaçada de extinção
aqui.
Fonte:

Será que é possível proteger a biodiversidade do mundo?

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Energia - Parte I - Conceitos

Imagem: L.Fraceto

Olá a todos!!

Atendendo uma sugestão de um comentário do Blog, iremos falar um pouco sobre energia. Como o tema é extenso, dividiremos o assunto em 3 partes:

Parte I - Conceitos
Parte II - Fontes de Energia Renováveis e Não-Renováveis
Parte III - A energia do Brasil

Então vamos lá...

"A crise ambiental pode ser descrita considerando-se três aspectos básicos:
- Crescimento populacional,
- Demanda de energia e de materiais
- e geração de resíduos, ou seja, poluição.

O problema de poluição ambiental surge no momento em que o ser humano descobre o fogo e passa a ser capaz de impulsionar máquinas e realizar trabalho, o que conduz a um enorme avanço tecnológico. Esse desenvolvimento traz a necessidade de quantidades cada vez maiores de materiais e energia para satisfazer a necessidade de desenvolvimento da humanidade, e isso por sua vez resulta em uma quantidade significativa de resíduos tanto em termos de matéria, como em termos de energia.

As radiações provenientes do Sol constituem a principal fonte de energia da Terra. Cerca de 99% da energia térmica utilizada pelos ecossistemas provêm desse enorme 'gerador'. Caso o Sol não existisse, a temperatura terrestre seria da ordem de -200 graus negativos. O restante da energia consumida pela Terra (1%) é obtido a partir de outras fontes, as chamadas fontes primárias de energia.

Estas fontes primarias de energia são convertidas pelo homem em outras formas de energia, ou seja, energia elétrica, energia química, energia térmica e energia mecânica. Essas formas de energia são utilizadas para o desenvolvimento das diversas atividades humanas, além de possibilitar a sobrevivência do homem em locais que apresentam condições adversas. Dentre os principais usos de energia pela humanidade, destacam-se: aquecimento de ambientes, processos industriais, transporte, iluminação, dentre outros.

Os recursos energéticos ditos primários são classificados em renováveis e não-renováveis.

As fontes renováveis provêm direta ou indiretamente da energia solar, sendo que o aproveitamento direto da energia solar vem sendo aos poucos implementado. Hoje em dia a radiação solar direta é utilizada para atividades domésticas, principalmente para o aquecimento de água e ambientes; outros usos, como geração de eletricidade, são feitos em pequenas comunidades e em âmbito de pesquisa. Já o emprego de fontes renováveis ditas indiretas, tais como vento e vazão dos rios, é limitado pela quantidade de energia disponível no tempo. Como não existe uma relação direta entre consumo e disponiblidade, há necessidade de se armazenar enegia para atendimento contínuo da demanda. É o caso, por exemplo, das hidrelétricas, que dependem da vazão dos rios. O barramento do rio cria um reservatório de água, formando um grande lago; durante o período de chuvas armazena-se água que é utilizada no período seco, quando a vazão do rio diminui."

Fonte:
Livro: Introdução à Engenharia Ambiental
Subtítulo: Desafio do desenvolvimento sustentável, O
Autor: Benedito Braga, Ivanildo Hespanhol, João G. Lotufo Conejo
Editora: Prentice Hall
ISBN: 8576050412

No próximo post falaremos das fontes de enegia renováveis e não-renováveis.

Deixo uma pergunta a todos: Quais são as fontes de energia Renováveis e Não-Renováveis mais comuns existentes?

Um grande abraço e Mão na Terra a todos!

Leandro.

terça-feira, 13 de maio de 2008

4 estações ?


As imagens do post “Seja Criativo...” compõem a coleção “As quatro estações", de Giuseppe Arcimboldo , que nasceu em Milão ,Itália, no ano de 1527 e é considerado um dos mais célebres representantes do maneirismo.

Não tem como negar, o olhar é de surpresa, espanto, estranhamento... os olhos procuram uma pista para entender as imagens e montar o quebra-cabeças.

Arcimboldo produziu a série “As Quatro Estações” em 1563. Suas pinturas mostram composições de frutas, legumes, flores e objetos exóticos que, olhados com atenção, nos permite entrever figuras humanas.

O toque de mestre do pintor foi utilizar, em cada tela, elementos que correspondessem ao tema retratado; assim, “A Primavera” é composta basicamente por flores, “O Verão”, por frutas próprias dessa estação, “O Outono”, por folhas e frutas dessa época do ano e “O Inverno”, por uma "árvore sem folhas".

O tema das “Estações do Ano” foi para exemplificar como a Ciência e a Arte sempre estiveram presentes na cultura humana.

Há muito tempo, os seres humanos perceberam o ciclo da natureza, que se repete regularmente, através das chuvas, das cheias, das flores, frutos, calor e frio. Essa repetição sempre possibilitou a previsão do tempo, das chuvas e das colheitas que permitiam a produção do alimento para a subsistência da vida.

Como podem perceber, com o passar do tempo, a interferência do homem na natureza tem alterado esse ciclo, prejudicando o equilibrio da vida no planeta.


Pergunto, como Giuseppe Arcimboldo reproduziria as “4 estações” nos dias de hoje?



segunda-feira, 5 de maio de 2008

A cisterna já está funcionando!

É com muita alegria que comunico a todos vocês que a nossa cisterna já está funcionando e com a chuva dos últimos dias logo estará cheia para ser utilizada.

Venham conhecer!!