quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Mão na Terra é notícia

Foi publicada no site Escola em Ação mais uma matéria sobre o Projeto Mão na Terra.

sementes cariocas

"A troca de sementes entre a Escola Estadual Profª Dinorá P. R. Brito, em São José dos Campos (SP), e a Escola Municipal João Brasil, em Niterói (RJ), contribuiu para incrementar a horta das duas escolas. Confira as dicas da professora de geografia Rosa dos Santos, que coordena o projeto ambiental “Mão na Terra”, na escola paulista e veja como é simples replicar essa ideia.
De acordo com a professora Rosa, o intercâmbio de sementes realizado com os alunos do professor de geografia Rogério, da Escola Municipal João Brasil, proporcionou a valorização de práticas ambientais já existentes nas duas escolas, possibilitando aos alunos novos conhecimentos, fortalecendo princípios como cooperação e solidariedade, em vez da valorização da cultura de consumo e do individualismo.
A troca de sementes começou na escola paulista depois da instalação da horta. Os alunos foram incentivados a trazer sementes de casa e a trocar com os colegas de sala.
“Com a atividade, os alunos descobriram que é muito fácil cultivar, mesmo em vasinhos feitos em pet, para plantar temperos e ervas medicinais. Descobriram também que essas plantas podem ser usadas para alimentação e tratamento alternativo para várias doenças. A ação acabou envolvendo toda a família e multiplicando-se na comunidade”, explica Rosa dos Santos.

Aumentando a abrangência

“Por que não transpor os muros da escola e trocar sementes com alunos de outras localidades?” Perguntou-se, então a professora Rosa, a partir do sucesso da iniciativa. Através da Internet, ela conheceu o trabalho do professor Rogério, que também desenvolve atividades de educação ambiental na sua escola. “No primeiro contato, mandamos sementes de alfazema, girassol e flores, e eles nos retribuíram com feijão guandu e manjericão que foram plantados imediatamente na horta mandala”, diz a professora.

Desdobramento da iniciativa

De acordo com Rosa dos Santos, junto com as sementes, os alunos escreveram cartas, contando sobre o projeto desenvolvido na escola, o lugar onde vivem e dando dicas de como cuidar das sementes que estavam enviando. “Essas trocas proporcionam novas descobertas e experiências, estimulando a leitura e a escrita, e a reflexão sobre o lugar onde vivem”, explica.
Segundo a professora, os alunos também perceberam na prática que a preocupação com a saúde e a busca de uma alimentação com produtos de boa qualidade e sem agrotóxicos é global e só a reflexão sobre o impacto de nossas ações no planeta é que nos permite buscar um futuro mais sustentável.

Três dicas:

A professora Rosa dá três dicas para quem quiser replicar a iniciativa da troca de sementes:
- estabelecer a responsabilidade da troca, pois quem escreveu e enviou suas semente não quer ficar sem resposta;
- organizar e acompanhar os alunos na redação das cartas;
- usar sementes de fácil cultivo. "

Para conhecer o Escola em Ação aqui

2 comentários:

Silvana Nunes .'. disse...

Navegando pela grande rede sem rumo com a intenção de divulgar o meu blog, cheguei até você e gostei do que vi, tanto que pretendo voltar mais vezes.
No momento estou impedida de fazer leituras muito extensas, pois a claridade da tela do computador está prejudicando um pouco a minha visão, devo tomar cuidado. Em breve resolverei esse problema. Bem, já que estou aqui aproveito para convidar a conhecer FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em http://www.silnunesprof.blogspot.com
Eu como professora e pesquisadora acredito num mundo melhor através do exercício da leitura e enauqnto eu existir, vou lutar para que os meus ideiais não se percam.
Se gostar da minha proposta, siga-me.
Por hoje fico por aqui, Espero nos tornarmos bons amigos.
Que a PAZ e o BEM te acompanhem sempre.
Saudações Florestais !

Silvana Nunes .'. disse...

Belo projeto.
Paranéns pela iniciativa.