quarta-feira, 11 de junho de 2008

Educação pela Comunicação: Como formar cidadãos

Primeiro surgiram os livros. Depois vieram os jornais e as revistas. No século 20, inventaram o rádio, o telefone e a TV. Hoje há também o celular e a internet.

A evolução nas tecnologias de comunicação e informação provoca profundas mudanças na maneira como os seres humanos vivem, pensam e trabalham.

Agora, para ser cidadão, é preciso aprender a navegar num oceano de informações. E a escola, o lugar tradicionalmente dedicado ao ensino e à aprendizagem, à transmissão de informações, tem que introduzir a comunicação.

Informação é poder. Temos que aprender não só a comunicar, como a ler criticamente as informações que recebemos.

Não há maneira mais simples e prática de fazer isso do que criando produtos de comunicação. Ao produzir um jornal, um site, uma história em quadrinhos, um fanzine, um vídeo, um programa de rádio, aprendemos a nos comunicar.

Ao comunicarmos, aprendemos a “gramática” dos meios de comunicação – além de sermos obrigados a organizar as informações. Para fazer um bom jornal é preciso saber português, matemática, história, geografia, biologia, design, informática...

A educação pela comunicação é um ótimo jeito de formar cidadãos para uma sociedade em que a informação e o conhecimento valem cada vez mais.

Fonte: FERNANDO ROSSETTI, jornalista, educador e consultor; coordena no UNICEF o projeto Educação, Comunicação & Participação

5 comentários:

paulo luan 3ºa disse...

é, saber ler criticamente realmente é algo fundamental ao fdomar um cidadão, atualmente na minha opinião, a maior massa da população lêem as coisas, muito superficialmente, se contentam com qqr coisa...
pessoas q naum sabem criticar são pessoas praticamente alienadas mediante ao mundo em q vivemos hoje...
infelizmente existem pessoas que não sabem nem se quer a ler e escrever... é a triste realidade do nosso pais q tem q ser mudada...
agora vamos divulgar legal nosso jornal...
vamos levar a informação no lugar onde ela chega muito "quebrada" levar a informação e a consciencia ambiental é o principal objetivo do jornal...
no entanto temos de levar e fortalecer cada vez mais a informação...

vamso divulgar o conhecimento!!! vamso desalienar os alienados!!!!
votem em mim! hauhauhushuhsuahushuahsu brincadera!
hehe

grande abraço até mais!

Erika seda de morais disse...

video excelent prof!eh mto dificil encontrar alguem q leve as coisas a sério!tenho certeza q se as pessoas lessem + o brasil melhoraria N vzs!

Rosa disse...

Olá...Só para complementar o post, é importante lembrar que a educomunicação pode ajudar a enfrentar o desafio de construir uma sociedade educada ambientalmente para a sustentabilidade, promovendo mudanças que permeiem o cotidiano de todas as pessoas, pois os principais objetivos são: promover o acesso democrático dos cidadãos à produção e difusão da informação; identificar como o mundo é editado nos meios de comunicação; facilitar o processo ensino-aprendizado através do uso criativo dos meios de comunicação
e de suas tecnologias (estes – os meios de comunicação - vistos a
partir não da tecnologia em si, mas de suas características e da importância de se ter acesso a eles).

bianca disse...

Saber ler criticamente,realmente é algo fundamental ao formar um cidadão,na minha opinião, a maior massa da população lêem as coisas, muito superficialmente, se contentam com qualquer coisa...
infelizmente existem pessoas que não sabem nem se quer ler e escrever... é a triste realidade do nosso país que tem que ser mudada...
Precisamos mudar essa triste realidade...
Abraços até +

Helena disse...

Como você já postou no Tratado de Educação Ambiental Para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global:

"A educação ambiental requer a democratização dos meios de comunicação e seu comprometimento com os interesses de todos os setores da sociedade. A comunicação é um direito inalienável e os meios de comunicação de massa devem ser transformados em um canal privilegiado de educação, não somente disseminando informações em bases igualitárias, mas também promovendo intercâmbio de experiências, métodos e valores."

Palavras inspiradoras para nós educadores, não achas?